Herbie Hancock e Wayne Shorter no Brasil

Herbie Hancock e Wayne Shorter no Brasil


herbie_wayne_660x377_2Remanescentes do quinteto de Miles Davis, pianista e saxofonista vão tocar juntos no braziljazzfest

Um dos mais tradicionais eventos de jazz do país (chamado anteriormente de Free Jazz, Tim Festival e BMW Jazz Festival), o braziljazzfest divulgou a programação de sua 31ª edição, que será realizada em São Paulo (Sala São Paulo e Auditório Ibirapuera) e no Rio (Vivo Rio), no início de abril.

O evento investe no reencontro entre dois grandes nomes do gênero: o pianista Herbie Hancock, de 75 anos, e o saxofonista Wayne Shorter, 82, remanescentes do quinteto de Miles Davis, consagrado na década de 1970. “Será o diálogo entre dois grandes amigos e duas lendas do jazz”, opina Monique Gardenberg, diretora do festival, que tem curadoria do jornalista, crítico e escritor Zuza Homem de Mello, do músico e produtor musical Zé Nogueira, e do produtor Pedrinho Albuquerque.

herbie_hancock_divulgacaoO pianista Herbie Hancock, com meio século de serviços prestados à música, influenciou um espectro musical que vai do jazz acústico e eletrônico ao R&B, soul e funk, e que alcança de Norah Jones a Corinne Bailey Rae. A visão arrojada da música de Hancock o levou a bater no Grammy, em 2008, Amy Winehouse e Kanye West, faturando o prêmio de Álbum do Ano.

Já o pioneiro Wayne Shorter, 82 anos, um dos maiores saxofonistas e compositores do jazz moderno, está em atividade desde os anos 1950 e, nos anos 1960, alargou o repertório de Miles Davis com clássicos como “Footprints” (do disco Miles Smiles, de 1966) e “Fall” (do disco Nefertiti, de 1968). Tocou com Coltrane, Art Blakey, Horace Silver, Milton Nascimento e também com Stones, Joni Mitchell e Santana. É mentor de pelo menos três gerações, ajudando a projetar artistas como a baixista e cantora Esperanza Spalding.

Velhos amantes das vanguardas, Hancock e Shorter têm sido amigos e parceiros desde os anos 1960, mas se reuniram em disco pela primeira vez em 1997, no CD 1 + 1, e se apresentaram poucas vezes nesse formato, apesar de nunca interromperem por muito tempo suas colaborações. Há 4 anos, excursionaram celebrando os 40 anos do mitológico disco Bitches Brew, de Miles Davis (que contém a faixa “Sanctuary”, composição de Shorter) e agora reacendem a parceria em curta e disputada turnê (que é atração num dos festivais mais importantes dos Estados Unidos, o New Orleans Jazz & Heritage Festival).

wayne_shorter-6637058Wayne Shorter tocou pela última vez no Rio em junho de 2011, no BMW Jazz Festival, para um Oi Casa Grande lotado. Na ocasião, ele dividiu a noite com outro grande nome do sax, Joshua Redman. Antes disso, Shorter esteve no TIM Festival de 2005, como grande atração da noite de abertura.

A última turnê de Herbie Hancock no país, por sua vez, foi mais recente: em 2013, o americano fez apresentações em São Paulo, em Paraty (no festival Mimo) e também no Rio, no então Citibank Hall (que voltou a se chamar Metropolitan). A apresentação da dupla no Vivo Rio está marcada para o dia 1º de abril.

Mais informações podem ser obtidas em www.brasiljazzfest.com.br.

Aqui, uma prévia do que pode ser ouvido nas apresentações

 

Serviço – BrasilJazzFest – Herbie Hancock & Wayne Shorter

Quarta, 30 de março, às 22h

Sala São Paulo – Praca Julio Prestes, 16 – Campos Elíseos

São Paulo – SP

 

Sexta – 1º de abril, às 21h

VIVO RIO – Av. Infante Dom Henrique, 85 – Parque do Flamengo

Rio de Janeiro – RJ

Categories

+ There are no comments

Add yours